sexta-feira, 19 de outubro de 2012


http://cisocial.blogspot.com.br/2012/09/porque-nao-voto-em-edivaldo-holanda.html


Foto Montagem: José Linhares

Eu sei, a aliança com Weverton Rocha é efeito de contingências da conjuntura política, dirão os holandistas pragmáticos.
 
Como você já deve ter percebido, a colunista aqui é simpatizante da candidatura do Deputado Federal Edivaldo Holanda Júnior à prefeitura de São Luís. Contudo, não posso me reduzir à condição de cabo eleitoral acrítica do candidato.
 
Não consigo digerir o suplente de deputado federal Weverton Rocha (PDT) e não vai aqui nenhuma desavença de ordem pessoal.
É que Weverton significa a tenebrosa possibilidade de que o futuro dos homens públicos do Maranhão seja tão tenebroso quanto é o presente.
Explico.
Jovem e oriundo da periferia, Weverton vai seguindo firme pelo caminho dos que em breve estarão cuidando do destino dos maranhenses. Até aí tudo bem.
 
O problema é que Weverton é um ladrão (sem eufemismos) dos mais venais que a política maranhense já produziu.
 
Sua presença num eventual governo de Edivaldo Holanda Júnior, não significa apenas a presença de mais um corrupto no poder. Significa que roubar, corromper, enganar e malversar dinheiro público, em vez de punição, gera premiação ao criminoso. 
Seria um desastre em todos os sentidos, mas especialmente, provaria de vez às novas gerações que o crime compensa! Que a política maranhense continuará sendo tomada por oportunistas ambiciosos que metem a mão no dinheiro público sem o menor constrangimento.
 
Sim, a presença de Weverton Rocha como uma das principais lideranças da campanha petecista é um motivo e tanto para se pensar duas vezes antes de votar em Edivaldo Holanda Júnior.
 
Pessoalmente, prefiro pensar que, uma vez no poder, o amigo Edivaldo Holanda Júnior tratará de dar a Weverton o que é de Weverton e transformá-lo num personagem de menor envergadura numa eventual administração.
 
Para o bem das futuras gerações.

*Lígia Teixeira é Mestranda em Comunicação e Cultura na Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ) e Historiadora graduada na Universidade Federal do Maranhão (UFMA)


•  DO BLOG MARRAPÁ
Seria Roberto Rocha um sarneyzista infiltrado? 
27 de julho de 2011    |    ás: 10:42 pm    |    Postado por: Leandro Miranda    | 
 

O ex-deputado Roberto Rocha será recebido no PSB nesta quinta-feira. Deixa de ser tucano, assim de uma hora pra outra, pra ser o mais novo socialista. Tem gente aplaudindo, gente resmungando e até gente que diz ser a adesão dele ao socialismo de Arraes uma manobra igual aquela que o fez candidato ao senado ano passado, tirando as chances eleitorais de Zé Reinaldo, maior e mais odiado desafeto de José Sarney no momento.
 
Na falta de uma conclusão clara sobre o que se passa, é bom olhar pro passado porque às vezes é lá que a gente sabe como será o futuro.Vamos ver então. 
Aos 26 anos, no velho estilo coronelístico, Bob Rocha se elegeu deputado estadual tendo como principal “argumento” o poderio econômico do pai dele, cujo governo até hoje é tido como imbatível no quesito corrupção. Depois, sem muita chance pra crescer no território do Sarney, anunciou o distanciamento e depois o rompimento. Mas nunca foi de sair por aí falando mal da oligarquia nem jamais rejeitou um bom vinho com o amigo Fernando Sarney, contam as más e boas línguas.
 
Se instalou no PSDB, fez três mandatos de deputado federal com pouca expressão. Mas sempre tido e havido como político habilidoso. Em 2002 se aventurou na disputa pelo governo do estado. Na hora “h”, quando a oposição precisava muito dos votos deles pra empurrar a eleição para o segundo turno, o que ele fez? Renunciou à candidatura apesar dos apelos desesperados de Jackson Lago, que perderia a eleição do ainda sarneysista Zé Reinaldo no primeiro turno. Como fizeram falta os votos de Roberto Coelho Rocha.
 
Zé Reinaldo rompeu com Sarney e na primeira hora estava lá o RR para se firmar como um dos principais articuladores do governador. Tão forte que ganhou pra si, com exclusividade, a poderosa Secretaria de Infra Estrutura para onde indicou o amigo Ney Bello e de onde voou para ter a maior votação no pleito de 2006. Foi pra Brasília, fez um mandato apagado e riscou o benfeitor Zé Reinaldo de seu caderno.
 
Aí chega 2010. RR morria de ciúmes de Flávio Dino, a quem acusou de ser arrogante e de furar a fila dos possíveis candidatos a governador. Fechava a cara para Dino, no velho estilo dos coronéis da política. Quando todos pensavam que ele, sem chance de ser candidato a governador, iria renovar o mandato na Câmara, RR surpreende de novo. Resolve de última hora ser candidato a senador, tirando de Zé Reinaldo as chances de se eleger. Claro, com o grupo Roseana unido, a divisão na oposição só iria prejudicar Zé Reinaldo, que acabou ficando em terceiro, mas na frente de Roberto Rocha.
 
É por essas e outras que o Roberto Rocha é tido como um político muito estranho. E por isso que Zé Reinaldo tá estrilando com a filiação dele ao PSB.
 
Mas a pergunta que está no título só será respondida mesmo por ele, Roberto Rocha. Daqui a menos de dois anos todos saberão se o pulo do PSDB para o PSB foi por um bom motivo ou se foi apenas para, a exemplo de 2010, frear o crescimento de Flávio Dino, que aparece como forte candidato ao prefeito.
 
As ações de Roberto Rocha a partir dessa quinta feira merecem muito mais atenção.

  DO BLOG MARRAPÁ

Foto-Fofoca: O homem por trás de Holandinha 
20 de setembro de 2012    |    ás: 3:20 pm    |    Postado por: Leandro Miranda    |
 
 


A foto acima, tirada ontem no Palácio Luiz XIII, registra um dos principais homens por trás da candidatura do comuno-petecista Edivaldo Holanda Júnior: o suplente de deputado Weverton Rocha (PDT).
 
Conhecido como um dos maiores rapinantes do Maranhão, Rocha foi apontado recentemente pela Veja como um assessores do ex-ministro Carlos Lupi que cobravam propina de 5% a 15% do valor do contrato para liberar pagamentos a ONGs que davam cursos de capacitação profissional em convênio com o Ministério do Trabalho. Por conta das denúncias, Lupi pediu exoneração do cargo.
 
Segundo o Ministério Público do Maranhão, o pedetista gatuno também desviou cerca 1.080 colchões de 75 mil que foram destinados ao Maranhão em 2008 para ajuda humanitária dos desabrigados pelas enchentes no Estado. Na época, quase 40 mil pessoas ficaram desabrigadas ou desalojadas em função das fortes chuvas.
 
Weverton Rocha é constantemente acusado de ter cometido várias irregularidades enquanto Secretário de Esporte e Juventude do finado governador Jackson Lago (PDT). As irregularidades incluem o favorecimento ilícito de uma empresa para reforma de um ginásio – a reforma mal saiu do papel. 
Para saber mais sobre a folha corrida do apoiador de Holandinha: CLIQUE AQUI. 

http://cisocial.blogspot.com.br/2012/09/porque-nao-voto-em-edivaldo-holanda.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário